Estão abertas as inscrições para o Prêmio MTD de Fotografia: Walter Firmo


Veja aqui como se inscrever!

O Prêmio MTD de Fotografia: Walter Firmo é um concurso de fotografia com cerimônia de premiação e uma mostra fotográfica que acontecerá no Palacete Princesa Isabel em Santa Cruz, no Rio de Janeiro, sendo esta a primeira edição

Sob o tema “mais amor por favor” evocando o sentimento de humanidade, na contramão da atual conjuntura sociocultural de individualismos, egocentrismos e endurecimento do conteúdo humano, o Prêmio MTD de fotografia: Walter Firmo surge promovendo um inédito concurso que premiará profissionais e amantes da fotografia.

FOTOGRAFIA: OLHARES VEROSSÍMEIS

Com o avanço do arsenal tecnológico, observamos o quanto a arte da fotografia vem sendo trabalhada a partir do leque de recursos em manipulações de imagens que hoje temos em mãos. Os programas de edição são, indiscutivelmente, recursos eficazes para alcançarmos determinados resultados, contudo, fazer uma fotografia vai muito além do clique, edição e/ou manipulação. 
Ter um olhar sensível é fundamental; saber enxergar e interpretar o real para capturar a verossimilhança da melhor imagem na hora de apertar o disparador traz uma peculiaridade essencial para os resultados do fotógrafo. Esse olhar humano e singular traduzido pelas lentes deve ser experimentado, apreciado e premiado. 
A ideia do Prêmio é valorizar o “olhar”, a difusão da arte fotográfica e o incentivo à todos os amantes da fotografia, por meio de um concurso que premiará os vencedores em uma inédita Cerimônia de Premiação e Mostra fotográfica com workshops na Zona Oeste do município do Rio de Janeiro, em Santa Cruz, no Palacete Princesa Isabel que abriga o Ecomuseu de Santa Cruz, um espaço cultural de importante e ostentosa arquitetura imperial ainda desconhecido por muitas pessoas. 
Em cada edição o Prêmio apresentará uma homenagem a notáveis personalidades da fotografia, nessa edição de abertura do Prêmio, Walter Firmo Guimarães da Silva será o homenageado. Firmo que é fotógrafo, jornalista e professor de carreira reconhecida nacional e internacionalmente, cuja obra investiga a figura humana, os costumes e festas populares brasileiras como o Carnaval do Rio de Janeiro. Em sua produção destacam-se ainda os retratos de músicos brasileiros, como os de Clementina de Jesus, Cartola e Pixinguinha. É o fotógrafo que se destaca pela exploração sensível da cor e da luz, mantendo diálogo com a pintura.
O Prêmio MTD de Fotografia: Walter Firmo é uma iniciativa sustentável, baseando-se nos três pilares da sustentabilidade. Econômico: valorização das trocas, economia colaborativa e parcerias. Social: cultura, arte, bem-estar social, desenvolvimento de localidades, compromisso com a humanidade, eventuais excedentes não utilizados na execução do Prêmio serão destinados a manutenção de projetos sociais. Ambiental: compromisso com meio ambiente, reutilização de materiais para composição da infraestrutura da Mostra e preocupação com o planeta.
As imagens inscritas no concurso passarão por três etapas de seleção: Pré-seleção por uma equipe técnica de profissionais da fotografia, Avaliação pelo corpo de juri formados por dez profissionais renomados da área da fotografia e Juri Popular.
Os 20 Finalistas além receberem certificados e terão suas imagens expostas na Mostra Fotográfica que acontecerá em 16 de fevereiro de 2019 no Palacete Princesa Isabel e afixadas em murais  da cidade, participarão da Cerimônia de Premiação, e ainda, poderão estar entre os 3 Vencedores de cada categoria “Profissional: Câmera Profissional” e “Amantes da fotografia:  cyber shot, celular, smartphone, iphone e similares”. Os 3 Vencedores de cada categoria levarão troféus e bolsas de estudos. O primeiro lugar de cada categoria levará o Selo Walter Firmo de elogio e reconhecimento.

Organização, parceiros e colaboradores

A organização do Prêmio conta com a participação de colaboradores, parceiros, apoiadores e profissionais da área cultural e da fotografia, comprometidos em fazer dessa iniciativa um importante marco da fotografia na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Participam da organização a gestora cultural e conselheira municipal de cultura do Rio de Janeiro Elizabeth Manja, os Produtores Culturais:  ambientalista Bianca Marins, o artista plástico Sergio Dias e a fotógrafa Gilmara Nunes ambos componentes da equipe gestora do Ponto de Cultura Movimento Territórios Diversos Associação Cultural, instituição realizadora do Prêmio e, a convidada para coordenação técnica fotógrafa Cacau Fernandes. O corpo de júri conta com os nomes: Custódio Coimbra, Wânia Corredo, Severino Silva, Cristina Fromet, Marco Antônio Portela, Bruna Prado, Júlio Regis, Belle Maia, Alex Ribeiro e Leo Mano.
A abertura do Prêmio e as inscrições já começaram e voce pode se inscrever no site :
Share:

Prêmio MTD de Fotografia: Walter Firmo

Tema "MAIS AMOR, POR FAVOR"

Já pensou em ter uma fotografia sua elogiada e reconhecida com um SELO dado por um grande nome da fotografia?  Imagina sua foto entre os finalistas deste grande prêmio, participando de uma mostra e divulgada pelas ruas da cidade do Rio de Janeiro?!  
Inscreva-se já e tenha sua fotografia selecionada por grandes profissionais da área.  Você irá concorrer a bolsas de estudo, publicações, participação em workshops e muito mais!  Além de garantir presença numa mega cerimônia de premiação, com entrega de troféu aos vencedores, exposição das fotos finalistas, entre outras atrações!
Zona Oeste vai respirar Fotografia!  E você não pode ficar fora dessa!
As inscrições estão previstas para segunda próxima, 10 de dezembro. Fiquem atentos no site www.mtdcultural.org.br

Share:

Graciano Caseiro Entrevista Marcus Casanova


MARCUS CASANOVA É SINÔNIMO DE DIVERSÃO, BOA MÚSICA MUITO SAMBA, ROCK, SERTANEJO E MPB NAS NOITES DA BOEMIA CARIOCA

MARCUS CASANOVA é cantor, compositor e músico que toca violão e gaita para acompanhar em seus shows nas noites da boemia carioca.

MARCUS CASANOVA, nascido em Botafogo e criado desde pequeno na Urca. Seu sonho começou quando tocou pela primeira vez nas cordas do violão do seu pai um verdadeiro talento que sempre amou a música,  e que o incentivou muito e foi crescendo ouvindo diferentes estilos musicais, desde seresta até as músicas atuais.


MARCUS CASANOVA é sinônimo de diversão, boa música que seus fãs curtem nas noites da boemia, gosta sim de samba, MPB, Rock, pop, blues sertanejo , regional, romantico. Fez vários eventos super bacanas, fez show em Minas Gerais pra mais de 10 mil pessoas com a BANDA PARADA OBRIGATÓRIA.

MARCUS CASANOVA é um talento que encantou o público no Vinicius Pianos bar com o GRUPO ENCANTO CIGANO que fez sucesso na novela Explode Coração, toda trilha sonora foram deles, pessoas maravilhosas que começaram também do baixo.

MARCUS CASANOVA cantou em eventos animando as festas dos grupos da Petrobrás, Unimed, Oi, Vivo, cantou também para a galera do Fluminense seu time rsrs, Flamengo e Vasco total de 20 anos de Eventos no Resort Portobello.


DE MARCUS CASANOVA POR MARCUS CASANOVA? QUEM É?
Um cara que ama o que faz, simples, sincero que adora fazer amizades novas, viajar, quando dá ficar com amigos e ficar ensaiando, compondo e criando nas horas vagas.



O QUE VOCÊ JULGA SER MAIS IMPORTANTE NA SUA ARTE? QUE SONHOS SUA MÚSICA OU SUA ARTE TEATRAL PODE REALIZAR EM SUA VIDA?
O que pra mim se torna importante é a glorificação do seu trabalho ser mostrado e ter o valor reconhecido pelo simples dizer: olha amei seu show, nossa que trabalho lindo, que linda interpretação e logicamente as palmas.
Já tive tantos sonhos realizados, 1 foi viver da música e graças a Deus consegui; e isso não tem preço e outro seria ser muito mais reconhecido pela mídia e deixar que trabalhos sérios com conteúdo entrasse mais nas vidas das pessoas e dessem mais chance pra músicas de verdade e não lixo comercial. Mas Deus sabe  o que faz e coloca tudo na sua hora.

COMO UM ARTISTA, CANTOR E MÚSICO QUAL SUA MAIOR DIFICULDADE NA SUA TRAJETÓRIA CULTURAL?
Respondo como cantor. Como músico e cantor, as dificuldade que alguns passam e eu também é que tem pessoas que nem conhece o seu trabalho e acha que todos são iguais, acontece muito em bares, restaurantes, churrascarias etc., até você provar o contrário a oportunidade passa no piscar de olhos, então, gostaria de deixar claro que músico de verdade faz seu trabalho de verdade e não brinca em serviço, porque eu sou uma experiência disso, pode ir em todos os lugares que já toquei, então não misture alhos com bugalhos.


COMO VOCÊ ENXERGA  À SUA MÚSICA É TAMBÉM À SUA CARREIRA NUM FUTURO PRÓXIMO?
Sou um músico atualizado e sempre terei trabalho, porque nos tempos de hoje se ficar na era do vinil você vira museu, isso aqui é Brasil, temos que infelizmente tocar e cantar alguns lixos musicas e "sertanejo universitário e pagode e até alguns funks, porque hoje no Brasil é só movido a esses estilos.
Crio eu se eu pegar e fazer uma "música" que fale de bunda, ou que alguém foi corno ou esta sofrendo e bebendo e tocar em rádio, pode ser até em rádios comunitários, pode vir a estourar.
Sobre o futuro, só Deus sabe.

QUAL A MÚSICA QUE VOCÊ APOSTA É QUE  VENHA  À SER SUCESSO NUM FUTURO PRÓXIMO?
Creio eu  que no futuro, hummmmm deixa eu pensar!!!!
Ah sim! Pagode, Sertanejo universitário e Funk, no Brasil sim.


QUAL A IMPORTÂNCIA DE UM EMPRESÁRIO E ESCRITÓRIO NA CARREIRA DE UM ARTISTA?
Olha tive alguns e não foi boa não, porque também não tive pessoas qualificadas para esse assunto "MÚSICA", mas pessoas que realmente aposta no seu trabalho e tenha a visão, com certeza ele enriquece e te levanta e será ótimo pros dois lados.

QUAL O FATO OU PESSOA QUE TEVE MAIS INFLUÊNCIA NA SUA ATIVIDADE COM À MÚSICA É À CULTURA?
Minha esposa, ela nasceu no meio de famosos na casa dela, o pai dela foi um dos maiores divulgadores de talentos na Som Livre, Indy Record e Sony Music, para ter noção  minha esposa não tem padrinho porque quem ia ser nem mais nem menos Zé Ramalho, nome do pai dela é ILMAR VELLOSO, falecido e não tive muita oportunidade de conhecê-lo melhor e na época eu estava começando a pensar em fazer repertório pro meu primeiro show a 26 anos atrás rsrs.

É DIFÍCIL SER ARTISTA NESTE PAÍS? O QUE FALTA PARA INCENTIVAR À SUA ARTE À TER UMA TRAJETÓRIA ARTÍSTICA DE SUCESSO?
É difícil pra quem desiste, o que falta darem mais valor e começarem a dar chance para mais música de verdade, sucesso só Deus sabe, vale do seu esforço e talento, apesar que aqui "música" com 1 frases e 1 refrão fazem sucesso, essa pergunta é difícil. kkkkk.

QUAL É A PRINCIPAL 'MANCADA' NO BRASIL, EM SE TRATANDO DE INCENTIVO AO ARTISTA?
Sou pai de fulano e ciclano, você esta aprendendo violão e a cantar, poxa vou te colocar no auge, enquanto músicos que esta na estrada a anos, canta divinamente bem, tem lindas canções, não tem vez.o famoso quem indica.


CONTE UM POUCO SOBRE O SEU INÍCIO? E SOBRE A SUA CARREIRA? E AONDE DESEJA CHEGAR?
Sou cantor, compositor e toco alguns instrumentos para me acompanhar como:
 violão e gaita, nascido em Botafogo e criado desde pequeno na Urca. Meu sonho começou quando toquei a 1 vez nas cordas do violão do meu pai que sempre amou a música era um hobby pra ele que depois do trabalho reunia amigos na minha casa que tinham o mesmo gosto que ele, me incentivou muito e fui crescendo ouvindo diferentes estilos musicais, desde seresta até as músicas atuais. Fiz vários eventos super bacana,show em Minas Gerais pra 10 mil pessoas com a banda parada obrigatória, Vinicius Pianos bar com o grupo Encanto Cigano que foi um sucesso na novela Explode Coração, toda trilha sonora foram deles, pessoas maravilhosas que começaram também do baixo.
SPA Dr. João Curvo, mais conhecido como Médico das estrelas, aonde tenho fotos de vários artistas e também de vários músicos conhecido como: Cláudio Nucci, Vanda De Sá, Sandra de Sá e outros etc.... no Resort Portobello durante 10 anos, Vários eventos para grupos da Petrobrás, Unimed, oi, vivo, fluminense meu time rsrs, flamengo e vasco total de 20 anos de Eventos no Resort Portobello. Agora desejo chegar aonde todos os cantores desejam, SER FAMOSO PELO SEU TRABALHO.

QUAL A IMPORTÂNCIA DE FAZER PARTE DESTE PORTAL TRAJETÓRIA CULTURAL?
Fazer o melhor e deixar a música te envolver completamente e receber muitos aplausos, porque o aplauso é o cachê mais alto para um artista.


PÁGINA OFICIAL
https://www.facebook.com/marcuscasanovarj

CANAL DO YOU TUBE
https://www.youtube.com/channel/UCLs7aAEsvsHkk0gh0DBCOvQ

TWITTER OFICIAL
@MarcuseBabi


Por Graciano Caseiro


Share:

Graciano Caseiro Entrevista Rose Lopes


ROSE LOPES UMA POLIVALENTE AGENTE CULTURAL PRODUZINDO ARTES COM INTERPRETAÇÃO 
E SENSIBILIDADE POÉTICA MUSICAL
  


ROSE LOPES nas artes despontou bem cedo! Estudou teatro, interpretação, piano e canto; com sensibilidade tornou-se atriz, cantora e poetisa.

ROSE LOPES na Cultura, se desenvolveu através de cursos de formação em gestão/produção cultural e de projetos.

ROSE LOPES, começou como assistente de produção em eventos e projetos culturais de diversos segmentos. Atuou como produtora cultural, contato publicitário de obra literária, assessora de autores e colunista de cultura.


ROSE LOPES, já como Coordenadora Artística trabalhou para a FLIZO - I Festa Literária da Zona Oeste - grande produção com mais de uma centena de participantes incluindo conhecidos artistas como o cantor Toni Garrido e a atriz e poetisa Elisa Lucinda; foram mais de 25 eventos executados em 1 mês.

ROSE LOPES conheceu culturas populares através da Secretaria do Estado de Cultura do Rio de Janeiro, e auxiliou em produções de grupos identitários, étnicos (indígenas/afro) e outros alvos de preconceitos; trabalhou pela valorização das culturas e respeito às diversidades. Com tanta atividade, articula e amplia cada vez mais a rede de contatos com artistas, coletivos, empresas e instituições, apoiadores, parceiros e patrocinadores.

ROSE LOPES, na área social, atuou como pesquisadora por 2 anos para o IBGE, para a UFRJ e para a LSE - London School of Economics. Em ONGs, trabalhou com temáticas de adolescência, sexualidade, gênero, preconceitos, prevenção às DST/HIV/AIDS e gravidez não planejada. Também atuou como educadora pela ONU Mulheres com menores em privação de liberdade com temática de gênero.



Como estudante de Ciências Sociais pela UFRJ foi pesquisadora, estagiária e monitora.Na Catalunya formou-se como Monitora e trabalhou com crianças e com pessoas com necessidades especiais.Há 10 anos, criou e produz o "aRtivistas Produções Socioculturais". Assim descobriu no aRtivismo o valor da arte social. Acredita na educação, arte e cultura como poderosas ferramentas de transformação e desenvolvimento.

De Rose Lopes por Rose Lopes?
"Transformar só é possível quando somos agentes!"
Rose Lopes - Produzindo Cultura.
 
 
Qual foi o 'click' da sua arte que despertou esse talento?
Já nasci cantando e atuando! rssr... Muito pequena já fazia minhas apresentações nas festas de família sempre cantando e interpretando personagens que eu mesma criava ou imitando a algum/a artista. Porém, foi aos 9 na escola Municipal Dr. Jair Tavares, onde estudei, que descobri o teatro quando me chamaram pra atuar numa peça baseada no livro "Confissões de Adolescente!". O amor foi tanto que entrei pela primeira vez num curso de teatro, com meu grande mestre Waldir Onofre, onde me apaixonei de verdade pela arte de atuar! Aos 11 comecei a estudar piano e canto.

Qual o fato marcante ou pessoa que teve mais influência na sua atividade com as artes?
Considero que minha mãe biológica, já falecida, que cantava e tocava pelas noites de Minas Gerais, deixou uma herança musical para mim e meus 7 irmãos e 3 irmãs de Juiz de Fora. Todos nós somos apaixonados e ligados à música e outras artes de uma forma inexplicável. Esse laço nos une tanto quanto os de sangue. Apesar de não ter convivido muito com ela, minha mãe é minha influência e a energia que me faz seguir cantando! Já meu pai pintava quadros e fotografava, como amador, mas admiro muito suas pinturas, fotos e esculturas. Creio que herdei dele também o talento para as artes manuais e visuais também.
Na minha trajetória cultural tive ótimas influências em outras áreas artísticas, mas tenho que ressaltar Waldir Onofre e Vilma Camarate como meus mestres referência nas artes cênicas; Silvia Fernandes e Mônica de Castro como minhas grandes reveladoras e influenciadoras na produção cultural, outra grande paixão que faço questão de exercer!


O que você gostaria de ver divulgado, do seu trabalho, nesta entrevista?
Tenho algumas páginas de trabalho principais e contas no instagram de trabalhos artísticos e culturais: Rose Lopes - Produzindo Cultura é onde exponho antigos e atuais trabalhos artísticos e produções culturais próprias ou nas quais trabalhei. Rose Lopes - A Essência de Mim  é uma página no face específica para meus poemas e escritas.
E a Artivistas Producciones (agora em castellano porque vivo e produzo em Barcelona) é meu principal ideal de vida, pois minha meta com as artes é a arte como ferramenta de conscientização, transformação e desenvolvimento social. Mais que artista, me considero aRtivista e aRtivismo é o que quero fazer por toda a vida!

Qual é a principal 'mancada' no Brasil, em se tratando de incentivo ao artista? É difícil ser artista neste país?
Considero que a principal "mancada" do Brasil se tratando de artes é não ensinar o tamanho de sua importância para o preparo de seres mais autônomos para toda e qualquer atividade que exerçam. A importância que a arte possui para estimular o pensamento crítico, a criatividade e a autonomia, tão estimuladas por Paulo Freire com a pedagogia da autonomia e Augusto Bual com o Teatro do Oprimido, não são ensinadas na maioria das escolas e muito menos valorizadas; pelo contrário, muitas vezes essas questões são ignoradas, diminuídas e reprimidas. Assim deixamos de descobrir grandes dons e talentos das crianças e deixamos de incentiva-los a lutar por seus sonhos e viver do que realmente amam. Independente de ser nas artes ou em qualquer outra área, é por falta de reforçar essas questões que muitos crescem insatisfeitos vendo-se obrigados a trabalhar em algo que não é o que gostariam realmente, por medo e falta de incentivo para serem mais autônomos, realizadores de suas próprias criações e desenvolvedores de seus talentos!
Ser artista não é difícil! Acredito que todo/a artista já nasce semente e não há como mudar isso! Ele/a simplesmente é! Difícil é que essa semente possa crescer e fortalecer tal como é, sem que torçam suas raízes, podem seus ramos e arranquem suas flores e frutos! Arte é vida natural! Nasce, cresce, reproduz e morre. Mas é muito fértil! Se bem cultivada produz campos lindos de flores belas e deixa sempre muitos frutos e novas sementes plantadas. Se bem propagada se torna portanto, eterna.
Difícil no Brasil é cultivar a arte! Viver da arte! Artistas temos diversos e de muitas qualidades! Mas o sistema quer plantas que cultivem frutos vendáveis e não reconhece ou incentiva devidamente o potencial de cada sementinha. Não valoriza quanta beleza cada sementinha vai se tornar.
Na verdade o sistema sempre teve medo da arte! Cada semente pode se tornar um campo de flores e esses campos tomam espaço das produções vendáveis pra ensinar sobre amor e união. Isso atrapalha o sistema!
 Darcy Ribeiro ja dizia que a crise da educação não é uma crise, é um projeto! Pois com a arte não é diferente! Arte e educação aliadas são grandes armas! o sistema entende e por isso não lhes dá o devido incentivo!



Conte um pouco sobre a sua carreira e aonde deseja chegar?
Durante toda minha estrada profissional, sempre alternei entre as artes/cultura e trabalhos mais "estáveis". Não tive todo incentivo que queria e não tive força e coragem suficiente pra crer mais em mim mesma. Pessoas próximas e importantes para mim valorizaram outras capacidades minhas, mais técnicas, e me incentivaram a buscar estabilidade. Me fizeram acreditar que eu seria uma grande advogada ou outra profissão de mais "status" que pudesse ganhar melhor e ser mais "bem sucedida" na vida. Por muitas vezes acreditei que devia buscar essa estabilidade para depois ser "livre" pra fazer o que mais amo, que é arte e cultura. Isso me fez dar muitas voltas e não realizar muitos sonhos, ainda pendentes. Mas por outro lado, não me arrependo, porque a vida me deu oportunidade de conhecer pessoas fantásticas e maravilhosas, de distintas áreas profissionais e de estudos. Passei por diversas faculdades e cursos diferentes. Deixei muitos incompletos, porque se por um lado me faltava coragem de arriscar o que realmente queria fazer, por outro lado nunca me faltou coragem de deixar o que não quero mais! Estudei MUITO e ainda não tenho um diploma de graduação. Trabalhei MUITO e ainda não realizei todos os meus projetos. Mas sou sonhadora, resistente e persistente! Nessa trajetória, aproveitei o máximo de conhecimento por todas as áreas onde passei. Levei os melhores contatos de todos os trabalhos onde atuei. Consciliei o máximo possível e segui sempre voltando para as artes e produzindo cultura, não só como uma válvula de escape, mas como autocuidado, autocura, autotransformação; metamoforse necessária pra eu voar plenamente sobre esses campos floridos que eu mesma cultivei.
Há 12 anos assumi meu foco na área sociocultural. Voltei a estudar e me dedicar às artes e entrei na faculdade de ciências sociais da UFRJ. A sociologia, a antropologia e as ciências políticas me ampliaram a visão sobre a sociedade tal como ela é e o que nela desejo transformar. Os estudos sociais me fortaleceram a autonomia e a militância! Fui estagiária da Secretaria do Estado de Cultura do RJ por quase 2 anos, atuando na Gerência de Identidades Culturais - Coordenadoria de Diversidade Cultural - Superintendência de Cultura e Sociedade. Essa experiência me permitiu conhecer e aproximar ainda mais das culturas populares e das identidades negras, indígenas e LGBTs, além de ampliar minhas capacidades e me dar maior segurança para exercer minha profissão de produtora/gestora cultural; pela valorização das diversas identidades e culturas; pela função social da arte; pela arte como ferramenta de empoderamento sociocultural, de transformação e desenvolvimento social. Também me especializei com cursos de gestão pública e produção cultural onde adquiri grandes conhecimentos e maturidade pra criar e produzir grandes projetos artísticos e culturais.
Agora, em uma nova etapa da minha vida, me adapto a grandes mudanças, vivendo na província de Barcelona, na Catalunya, que passa por um processo antigo e contínuo de luta pela independência, contra o fascismo e contra a burocracia e repressão do governo Espanhol. Vejo muitas semelhanças com nossa história social e política, mas encontro maior abertura e valorização da artes e da cultura, inclusive dentro da educação.
Aqui, me formei como "monitora de tempo livre" e comecei a trabalhar no campo da "educação livre" (educació de lleura, em catalán) exercida como alternativa aliada a educação formal, tem foco no ensinamento de valores sociais, emocionais e na valorização do ser humano e no meio ambiente através do uso de jogos e artes diversas. Me especializei em educação para as diversidades com foco em autismo e trabalhei com educação especial cuidando de crianças e adultos com diversas necessidades especiais. Também fiz um curso de Psicodrama, pela Escola de Psicodramaturgia de Barcelona e outro de Teatro Social e Gênero (com uso da metodologia do Teatro do Oprimido, de Augusto Boal), pela NUS Cooper de Teatro.
Agora, começo a trabalhar com a Cia Ophelia de Teatro (de São Paulo), onde em sociedade com 2 atrizes e diretoras brasileiras, nos organizamos para desenvolver nossas próprias produções de arte social e tocar a aRtivistas Producciones.
Meu objetivo é seguir Produzindo Cultura e oficializar a aRtivistas Producciones Socioculturais. Quero poder com as produções que fizer aqui, divulgar e contribuir com tantos artistas, projetos e ONGs aRtivistas maravilhosas que conheci na Zona Oeste do RJ. Estou fora, mas não abandono as raízes! Meu ideal é viver de arte, pesquisar, produzir e promover o aRtivismo do Brasil e do/pelo mundo.


Como o site trajetória cultural pode contribuir para 'os artistas', na sua opinião?
O Trajetória Cultural é super importante para que os/as artistas possam se identificar e se fortalecerem entre si. É importante para ver que não estamos sós, que não somos "xs únicxs loucxs" e conhecer a história dx outrx nos dá elementos, força e incentivo para prosseguir e resistir criando e produzindo nossas artes. É uma ferramenta de empatia, união e empoderamento. Parabenizo os/as que produzem, agradeço o convite e desejo vida longa e próspera a esse projeto!

O que falta pra gente melhorar em forma de divulgação no site, trajetória cultural e o que você acha que precisa acrescentar?
A divulgação audiovisual é super importante porque o imediatismo de muitas pessoas as fazem não ter tempo ou terem preguiça de ler. Infelizmente muitos preferem um filme que um bom livro e não leem uma entrevista mas acabam presos em vídeos. Assim que, deixo como sugestão, que mais entrevistas sejam feitas com vídeos, ou que coloquem mais vídeos promocionais do projeto no site. Além disso é sempre bom buscar o diferencial, mas não posso opinar sobre isso antes de conhecer melhor o desenvolvimento do projeto. De todo modo, vejo muito bom o trabalho que está sendo feito e desejo que cresça e apareça cada vez mais!!!







REDES SOCIAIS
https://www.facebook.com/produzindocultura/?ref=br_rs

https://www.facebook.com/aessenciademim/?ref=br_rs

https://www.facebook.com/artivistasproducoes/




Por Graciano Caseiro

Share:

TOP 5

Recente